Uso de estatinas ajuda a ganhar anos de vida para doentes cardiovasculares

As doenças crônicas exigem medidas de prevenção e cuidados que muitas vezes perduram por toda a vida. As alterações das gorduras do sangue são típicos exemplos desses problemas. As estatinas fazem parte de uma classe de medicamentos que conseguem reduzir a quantidade total de gorduras e que atualmente passaram a fazer parte das diretrizes internacionais.


A diminuição da quantidade de eventos cardiovasculares com as estatinas está cientificamente comprovada, mas resta uma dúvida. Será que o investimento nesse tratamento preventivo vale a pena? Para responder a essa pergunta, pesquisadores ingleses analisaram os benefícios da utilização das estatinas em vários grupos etários e com fatores de risco diferentes. Foram mais de vinte mil pessoas, com idades entre quarenta e oitenta anos de idade.


A avaliação foi feita levando-se em conta o custo diário do tratamento com 40 mg de sinvastatina e o numero de eventos cardiovasculares importantes. Como eventos cardiovasculares importantes foram listados infartos, acidentes vasculares cerebrais e mortes por esses problemas. Os resultados estatísticos foram extrapolados para os grupos etários mais novos e mais idosos. O resultado desse tipo de análise é expresso em anos de vida ganhos com o tratamento.


A conclusão das análises é que utilizar quarenta miligramas de sinvastatina é positivo do ponto de vista do ganho de anos de vida em todos os grupos etários e de risco cardiovascular diferentes.


Converse com seu médico, avalie seu risco cardiovascular e qual a melhor estratégia individual para diminuí-lo.

Luis Fernando Correia é médico e apresentador do "Saúde em Foco", da CBN.

Empresas de ônibus interestaduais ainda desrespeitam os direitos dos idosos

Empresa de ônibus descumpre o Estatuto do Idoso

Ladrão apanha ao tentar assaltar ex-boxeador de 72 anos


Foto: Reprodução/The Sun

Assaltante levou surra de ex-boxeador de 72 anos. (Foto: Reprodução/The Sun)

Um olho roxo, os lábios inchados e uma sentença de quatro anos e meio de prisão foram o resultado de uma tentativa de assalto a um idoso em Botley, na região de Oxford, na Inglaterra.

De acordo com a edição desta terça-feira (30) do jornal "The Sun", Gregory McCalium, 23 anos, atacou a casa de um aposentado e acabou levando dois socos no rosto - para azar do ladrão, a vítima era Frank Corti, um ex-lutador de boxe de 72 anos.

Corti e a mulher dele, Margaret, estavam em casa quando McCalium apareceu. Ameaçado com uma faca, o ex-boxeador não hesitou e bateu no invasor. Corti ainda conteve o ladrão até a chegada da polícia.


Segundo o jornal "Daily Mail", durante o julgamento, o promotor BrianPayne disse que o barman McCalium estava sob efeito de drogas, porque suas reações eram lentas. Ele estaria bêbado, depois de uma noite de festa, quando invadiu a casa do ex-boxeador.

McCalium fui condenado a quatro anos e meio de prisão, depois de o juiz dizer que ele "teve o que mereceu". Corti se disse satisfeito com a pena, que garante que o ladrão não "vai perturbá-lo por alguns anos".

Britânico de 113 anos se torna o homem mais velho do mundo

Londres, 19 jun (EFE).- Um britânico de 113 anos e veterano da Primeira Guerra Mundial, Henry Allingham, se tornou o homem mais velho do mundo após a morte do que até agora ostentava o título, o japonês Tomoji Tanabe, confirmou hoje o Livro Guinness dos Recordes.

Tanabe morreu hoje por causas naturais, também aos 113 anos, em sua casa de Miyakonojo (sul do Japão), segundo a agência local "Kyodo".

Allingham, que celebrou seu último aniversário no dia 6 de junho, é um dos dois únicos sobreviventes que restam no Reino Unido da Primeira Grande Guerra, e também o único membro fundador vivo da Real Força Aérea britânica (RAF).

O idoso, que vive em uma residência para antigos militares cegos em Brighton (sudeste da Inglaterra), viveu uma primeira metade de ano cheia de eventos.

Em março passado recebeu a Legião de Honra da França por serviços militares e também foi nomeado o primeiro membro honorário vitalício da Real Associação Naval britânica.

Em seus 113 anos, Allingham viu três séculos e seis monarcas, e tem cinco netos, 12 bisnetos, 14 tataranetos e um tatataraneto.

Falta de dinheiro é o que mais impede idosos de fazerem o que querem

SÃO PAULO - A falta de dinheiro é o principal fator de impedimento para que os idosos deixem de fazer o que gostam. Segundo indicou a pesquisa Longevidade Brasil, feita pelo banco Bradesco, 37% deles não conseguem fazer as atividades que lhes dão prazer devido à falta de recursos.

Em seguida aparece a falta de tempo como um motivo de impedimento, indicada por 29% dos 2 mil entrevistados. A saúde, por sua vez, aparece somente em terceiro lugar, com 20% das respostas.

Atividades de que gostam

Segundo a pesquisa, o que um idoso gostaria de fazer mais é viajar a lazer, com 37% das indicações. Outras atividades aparecem com índice menor, como sair para dançar e se exercitar, com apenas 4% das respostas cada uma. Trabalhar foi indicado por 3% dos entrevistados, enquanto pescar teve 2% das indicações.

O estudo também ressalta que o cotidiano dessas pessoas é preenchido com diversas atividades, inclusive o trabalho, para aqueles que não pararam com a aposentadoria. Entre aquelas que os idosos mais gostam de fazer, novamente viajar a lazer aparece em primeiro lugar, com 13% das indicações, seguida por assistir TV (7%), ir à igreja (6%), trabalhar (5%) e jogar baralho ou dominó (5%).

Médico orienta idosos como prevenir quedas em casa

Cerca de 30% das pessoas com mais de 60 anos caem pelo menos uma vez ao ano. Destas, mais da metade voltam ao cair. De acordo com levantamento da Secretaria de Estado da Saúde, cerca de 10 mil idosos foram internados somente no Estado de São Paulo em 2008, devido a fraturas no fêmur em decorrência de uma queda.

O diretor do do Instituto Paulista de Geriatria e Gerontologia José Ermírio de Moraes, Paulo Sérgio Pellegrino, diz que, quando um idoso cai, o risco de sofrer lesões gravíssimas é alto.

Segundo Pellegrino, a fratura de quadril ou traumatismo craniano podem levar à morte ou deixar sequelas para o resto da vida.

"Geralmente vários condicionantes contribuem para a queda. Então é importante que as pessoas cuidem da visão, procurem utilizar lentes corretivas. É importante ter cuidado no uso de medicamentos, que são uma causa de desequilíbrio nas pessoas idosas, principalmente medicações controladas. Caso esteja ocorrendo quedas, converse com um médico", aconselha

TALENTOS DA MATURIDADE - http://www.talentosdamaturidade.com.br/






CRIADO EM 1999, em homenagem ao Ano Internacional do Idoso, o Talentos da Maturidade é um concurso que incentiva a produção e a memória cultural de pessoas com 60 anos ou mais, promovendo a criatividade e ampliando o potencial artístico e a participação social desse público.

O Concurso tem o intuito de despertar a sociedade para uma nova reflexão sobre o envelhecimento, uma vez que, segundo projeções da ONU, em 2025 o Brasil terá 32 milhões de habitantes com mais de 60 anos, número expressivo e que merece uma atenção diferenciada.

Esta edição do Talentos da Maturidade é muito especial para nós, pois com a união do Banco Real e o Santander, somamos as melhores práticas das duas instituições para ajudar a construir uma sociedade mais consciente, mais humana e inclusiva, sem preconceito de idade.

Diante desse objetivo, transformamos o site em um espaço que promove a integração entre Participantes e pessoas que tenham interesse em conhecer essa iniciativa. As inscrições para o Talentos da Maturidade vão de 1º/6 a 14/9/2009.

Aproveite para conhecer agora as novidades desta edição clicando aqui.

Para participar é preciso:
  • Cadastrar-se aqui no site, caso você opte pela inscrição online, que disponibiliza muito mais benefícios além do Concurso.
  • Inscrever seu(s) trabalho(s) acessando a área de inscrições deste site ou preenchendo um formulário disponível nos Correios ou nas agências do Banco Real e do Santander.
  • Anexar seu trabalho junto à Ficha de Inscrição pelo site, nas agências ou nos Correios.

Os trabalhos serão selecionados por uma Comissão Julgadora especializada que irá escolher 5 vencedores em ordem de igualdade e 20 pré-finalistas de cada categoria.

Britanica comemora 100 anos com salto


A centenária Peggy McAlpine faz sinal de positivo ao voar de parapente no Monte Kyrenia, no Chipre, a uma altura de 762m. Ela, que se entitula "endiabrada" estará no livro dos Recordes por ser a mais idosa praticante de parapente. O vôo foi para celebrar o aniversário de 100 anos, comemorado no dia anterior, quando ela recebeu um telegrama da rainha.

Convivendo com o idoso!


Ninguém em sã consciência por mais que esteja vendo a realidade dos fatos, admite ou assume aquilo que se chama envelhecer. A maioria das pessoas de meia idade não gosta que a chame de velhas, isso é um choque para elas quando as tratam assim.

A população de idosos desde 1994 em nosso país tem aumentado consideravelmente e a nossa Paraíba encravada na região mais pobre desta nação, é hoje proporcionalmente, a segunda maior população de idosos e divide o segundo lugar no Brasil com o Rio Grande do Sul. Já o Rio de Janeiro tem um pouco mais, 10,9% ocupando o primeiro lugar em número de idosos.

Num país de velhos,o mais desgastante é que nossa sociedade não está preparada e não aprendeu como tratá-los numa convivência harmoniosa. A situação é grave! São mais de trezentos mil; além das limitações impostas pela idade, eles sofrem o preconceito de um grande número de pessoas, que ainda não se adaptaram a conviver com eles.

Faltam especialistas no assunto, principalmente na área de saúde para orientar e atender o idoso. Em João Pessoa capital do Estado, conta-se nos dedos os serviços na área de saúde que oferecem assistência global a terceira idade. Para alguns especialistas, o envelhecimento da população brasileira foi muito rápido. Os Estados Unidos passou 70 anos para atingir o percentual de velhos que o Brasil alcançou em 10 anos, que é em torno de 10%.

De modo geral, o idoso sofre discriminação, muito das vezes não são priorizados.”Se tiverem de optar entre salvar a vida de um jovem ou de um velho, salvam o jovem” palavra da gerontóloga Miriam Trindade.

Daí a necessidade da criação do Estatuto do Idoso, a Lei 10.741, de 01-10-2003, Estabelecendo que “O Poder Público poderá criar Varas especializadas e exclusivas do idoso”. E assim assegura as pessoas com idade igual ou superior a sessenta anos, o direito a proteção da lei, disciplinando e regulando uma política de procedimento e respeito ao idoso.

É preciso ter consciência dos fatores causais que mexem com o Idoso, para que se saiba como lidar com ele. Mudanças no corpo (envelhecimento), maior consciência das limitações da morte, das falhas do passado e do temor do futuro, confrontação das fantasias do jovem adulto com a realidade, queda na alta imagem.

As questões existenciais voltam fortes nesse período: Quem sou eu? O que faço? Qual será meu destino? Existe uma sensação que o melhor da vida está no passado. Há um vazio e um sentido de urgência.

E agora, diante de tudo que escrevi, eu pergunto: VOCÊ TEM UM IDOSO EM CASA? COMO É O SEU TRATAMENTO COM ELE? SEJA QUAL FOR! SE DEUS LHE CONCEDER ANOS DE VIDA, VOCÊ UM DIA SERÁ IDOSO TAMBÉM, E SENTIRÁ NA PELE A NECESSIDADE QUE OUTROS SENTIRAM E SÓ ASSIM COMPREENDERÁ COMO FOI BOM CONVIVER COM O IDOSO.

Atentem para as palavras do sábio Salomão quando diz: “Ainda que o homem viva muitos anos, regozije-se em todos eles; deve lembrar-se de que há dias de trevas, porque serão muitos. Tudo quanto sucede é vaidade.... Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais dirás: Não tenho neles prazer” Eclesiastes: 11:8 e 12:1

Livro: Pessoas idosas no Brasil

Na imagem, capa do livro onde aparece a imagem de uma mulher idosa.

Na imagem, capa do livro onde
aparece a imagem de um pessoa idosa.

PESSOAS IDOSAS NO BRASIL, abordagens sobre seus direitos, com a organização de Maria Aparecida Gugel e Iadya Gama Maio, no dia 18 de março de 2009.

Jovem cochila mais que idoso, conclui pesquisa

Resultado de estudo sugere que cochilos não têm relação com envelhecimento

Pode parecer que o vovô sempre cai no sono facilmente em sua poltrona, mas um pequeno estudo sugere que jovens privados de sono são muito mais prováveis de “pescar”.

Pesquisadores analisaram os padrões de sono de 37 pessoas saudáveis, sendo 26 delas com menos de 29 anos e as demais com mais de 65. O estudo de cinco dias incluiu um período de 26 horas durante as quais os voluntários concordaram em ficar acordados.

Os cientistas monitoraram a vigilância deles ao observar ondas cerebrais e movimentos oculares. Além disso, eles administraram testes a cada duas horas para medir tempos de reação e lapsos de atenção.

A análise, publicada online dia 3 de maio na “Revista da Sociedade Norte-Americana de Geriatria”, descobriu que, pelas primeiras 16 horas, os dois grupos tiveram o mesmo desempenho. Entretanto, nas dez horas seguintes, os mais jovens tiveram três vezes mais falhas de atenção que os idosos e tempos de reação significativamente mais lentos.


As pessoas com menos de 29 também estiveram mais propensas a cochilar - mais de metade delas tiraram uma soneca em um momento ou outro, enquanto todas as pessoas mais velhas ficaram acordadas.

“Os idosos que adormecem durante o dia podem ter outro problema”, disse a autora principal do estudo, Jeanne Duffy, professora de medicina em Harvard. “Essa não é uma consequência normal do envelhecimento”, explica.

.A insônia e a apneia são os principais distúrbios que tiram literalmente o sono dos brasileiros. “A primeira é caracterizada como um sintoma, e não uma doença, já que pode estar relacionada a outros fatores, na maioria dos casos psicológicos. A sonolência excessiva diurna também pode ser um indício da própria apneia”, observa Tomomi Harashima, coordenador do Centro de Apneia Obstrutiva do Sono do Cetao.

Pesquisadores da Universidade de Chicago descobriram que manter os olhos abertos durante a noite está fortemente ligado ao surgimento do diabetes tipo 2. Isso porque, quando os indivíduos acordam no momento em que estão prestes a entrar em sono profundo, o corpo torna-se incapaz de reconhecer sinais normais de insulina, ocasionando aumento nos níveis de açúcar do sangue.

Fonte: Super

CARTA AO IDOSO


Olá, como o senhor ou a senhora estão?
Espero que estejam bem com toda a sabedoria, dores, alegrias, problemas e felicidades por que têm passado durante todos esses anos.
Ah! Você está se olhando no espelho? Sua pele está enrugada e sem elasticidade, não é? Seus movimentos são lentos porque as articulações não permitem movimentos rápidos. Mas você já é mais sincero em dizer aquilo que pensa. Já não tem mais pudor de saber o que os outros vão achar de você. Tem gasto muito dinheiro com remédios, não é? Muitas vezes isso tudo é superado pelo beijo e abraço apertado que o netinho dá em você. Mas tem aqueles que nem os filhos nem os netinhos lembraram do seu aniversário. E tem aqueles que deixam de tomar o remédio necessário porque não têm dinheiro para comprar. A aposentadoria é pouca.
Muitas vezes, você pensa que já viveu tudo que poderia. Outras vezes, anseia por novidades.
A paciência já não faz mais parte das suas qualidades principais. E a memória anda meio fraca, não é? Mas ainda sobra muitas palavras para contar aquela sua história de infância, aquele casamento maravilhoso que durou mais de 40 anos, aquelas palavras que contavam como era sua juventude.
O mundo mudou muito rápido aos seus olhos, não é? A juventude anda incompreensível. Mas você mima como pode o seu netinho, afinal de contas, você não tem mais a obrigação de educar ninguém.
Sabe, outro dia estava prestando atenção na minha mãe e nos meus sogros. E estava imaginando como eu seria quando fosse velha. Será que teria a sabedoria acumulada como você? Será que minha vida seria só de descanso, coisa que o idoso não quer ter. Sim, pois todos os idosos que conheço gostam de ter ocupações. Não digo jogar dominó na praça da esquina. Digo ocupações produtivas, reais oportunidades de mostrar seu potencial, de mostrar que ainda têm muita vida para dar.
Eu não sei como serei quando envelhecer mais um pouco. Só sei que atualmente para se chamar alguém de velho, precisa ter pedras no coração, pois a velhice é bem diferente nos dias de hoje do que era há 30 anos. Velho, hoje em dia, é aquele jovem que tem preguiça de caminhar algumas quadras a mais ou que tem preguiça de estudar. Você, meu idoso querido, ainda tem que mostrar muita coisa ao mundo injusto que o acolhe.
Sua vida não está acabando, ela só está mudando.
Espero que sua saúde esteja bem e que você possa ser a âncora do navio do mundo, para que ele não afunde de vez.
Um abraço apertado para você.

Idoso passa três meses regando árvore de plástico

Dois idosos de Monte Alto, a 353 km de São Paulo, tiveram uma decepção após plantarem uma árvore em um canteiro da cidade. Depois de três meses, eles descobriram que o suposto vegetal era de plástico. "Achei que ia virar planta", diz o comerciante Domingos Alves, 60 anos.

Junto com o amigo, o também comerciante Alceu Colevate, 70 anos, ele havia achado a árvore abandonada ainda em 2006, e decidiram fazer uma boa ação. Os dois replantaram a planta no canteiro do mercado municipal da cidade.
Passados três meses, a árvore não cresceu, não floresceu, nem murchou. Mesmo assim, ambos continuaram cuidando dela. Somente depois de um vendaval que arrancou muitas "folhas", no fim do ano passado, eles perceberam que se tratava de uma planta artificial.
"Fiquei decepcionado", diz Alceu. "Apavorei. Fiquei chateado", completa Domingos. Por conta do episódio, os dois passaram a ser conhecidos como "ecologistas artificiais" na cidade.
Depois, os amigos resolveram refazer a boa ação e plantaram uma nova planta. Desta vez, juram, é de verdade. "Se quiser, mostro até a semente", afirma Alceu.


Na classe c, 82% dos idosos mantêm lar

Quatro em cada cinco idosos são os principais responsáveis pelo sustento de casa, principalmente nas classes mais baixas, em que a aposentadoria tem grande peso na renda familiar. É uma das conclusões do estudo Longevidade Brasil, coordenado pelo cientista social José Carlos Libânio, ex-coordenador de desenvolvimento da ONU no País.
A pesquisa entrevistou cerca 2 mil pessoas das classes A, B e C em seis cidades brasileiras.

Segundo Libânio, na classe C, 82% dos idosos mantêm os lares. Na classe A, 76%. "Para as classes mais pobres, o fato de poder contar com uma renda certa e segura faz toda a diferença", afirmou Libânio.

A pesquisa, patrocinada pelo Bradesco Seguros, mostra que, para os idosos, as piores coisas de envelhecer são: doenças físicas (53%), ser desrespeitado (20%) e solidão (15%). Por outro lado, 78% discordam que a velhice é um tipo de doença. Para 73%, ser idoso é motivo de tranquilidade. Para 30%, é sinônimo de preocupação. Três em cada quatro consideram que o melhor de envelhecer é não ter horários.

Idosos ganham aparelhos de ginástica em Tijuca SC

Uma academia ao ar livre desenvolvida inicialmente para a terceira idade, foi inaugurada neste mês na Praça Henrique Ternes, no município de Tijucas, em Santa Catarina.

Idealizado pela prefeitura municipal, o local dispõe de equipamentos para a prática de exercícios físicos e alongamentos. Uma placa no centro da praça traz instruções para o uso correto dos aparelhos, cada um com uma finalidade específica. O informativo também apresenta dicas sobre como as pessoas devem se alongar antes de iniciar as atividades.

O morador de Bombinhas Fabrício Jachowicz aprova. "É um projeto muito interessante, já vim com toda a família", conta.

Localizada à beira do rio Tijucas, a Academia de Ginástica possibilita o uso público e irrestrito de toda a comunidade. Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura, apesar de ser voltado para os idosos, o local também é muito utilizado por adultos e crianças, já que para realizar os exercícios não é preciso o uso de força.

Estudo: cabelos brancos são causados por estresse celular


O estresse relacionado ao trabalho ou à vida pessoal pode fazer você querer arrancar os cabelos, mas um recente estudo revelou que é o estresse celular que, na realidade, os faz embranquecer.

Isso porque o DNA sofre "ataques constantes" de agentes nocivos, tais como agentes químicos, luz ultravioleta e radiação ionizante, de acordo com a líder da pesquisa, Emi Nishimura, da Universidade de Medicina e Odontologia de Tóquio.

Uma única célula mamária pode, em um único dia, enfrentar até 10 mil incidentes que danificam seu DNA, acrescentou Nishimura em uma declaração. As células-tronco presentes nos folículos capilares responsáveis pela coloração dos fios são as mais afetadas por esse irreparável desgaste.

Células-tronco são células que podem se reproduzir indefinidamente e que possuem potencial para "amadurecer", dando origem a outras células mais especializadas. As células-tronco presentes nos folículos capilares se transformam em melanócitos, ou células que produzem o pigmento melanina.

Em indivíduos mais jovens, as células-tronco capilares mantêm um equilíbrio entre aquelas que se reproduzem e aquelas que se transformam em células pigmentares, de modo que o pigmento seja constantemente adicionado ao cabelo que cresce. Entretanto, com o passar dos anos, muitas das células-tronco amadurecem até as células pigmentares se esgotarem por completo e o cabelo passar a crescer com cor acinzentada.

Cientistas ainda têm dúvidas sobre o que exatamente incita a modificação das células-tronco. De acordo com Nishimura, a resposta pode estar no acúmulo de danos ao DNA.

Forçar o amadurecimento das células pode ser a "maneira mais sofisticada" do corpo de expurgar as células-tronco danificadas sem matá-las, ela afirmou.

Danos Inevitáveis
"Nos focamos no processo de embranquecimento dos fios pois este é um sinal típico do envelhecimento em mamíferos", escreveram os autores.

Os pesquisadores submeteram roedores a exames de raio X de corpo inteiro e a injeções químicas. Ao examinar os folículos capilares dos roedores, a equipe percebeu que as células-tronco tinham sinais de dano permanente. Posteriormente, o pêlo destes animais cresceu sem nenhuma pigmentação.

O estudo apóia a idéia de que a instabilidade dos genes pode ser um importante fator responsável pelo envelhecimento, dizem os autores. Os resultados também dão credibilidade à teoria de que danos às células-tronco podem ser o maior determinante do envelhecimento.

Para os autores, os danos ao DNA observados na pesquisa são essencialmente "inevitáveis".

Linzhao Cheng, membro do Instituto de Engenharia Celular da Universidade John Hopkins, concordou que é difícil evitar danos às células-tronco, especialmente em pessoas que passam muito tempo em ambientes externos, onde ficam expostas à radiação solar ultravioleta.

Contudo, o estudo auxilia a comunidade científica no entendimento do embranquecimento, afirmou Cheng por e-mail, o que pode levar à descoberta de novas substâncias químicas capazes de prevenir a mudança de papel das células-tronco capilares.

"Em breve, teremos cremes antiembranquecimento para a população", disse ele. O referido estudo foi publicado no periódico especializado Cell.

Tradução: Amy Traduções

INSS avisará trabalhador sobre aposentadoria

Brazlândia escolhe a Rainha da Terceira Idade

Conheça uma técnica cirúrgica que pode ajudar quem sofre de osteoporose

SP: dez mil idosos quebraram o fêmur em 2008


O médico analisa sapato de salto. "O problema é que tem um saltinho e ele não é preso atrás por esse motivo ele facilita para as quedas. O ideal é que use o calçado sem o solado muito alto e preso no calcanhar para que facilite”, fala Carlos Uehara, geriatra.

"Eu já vou pegar o exemplo do doutor aqui e vou usar”, diz Maria Adelaide Souza, dona de casa.

A visão já não é a mesma, a musculatura está mais fraca e é preciso mais esforço para se manter equilibrado, sem cair. Para milhões de idosos, a locomoção é sinônimo de desafio. Uma batalha diária que precisa ser vencida a cada passo.

Dona Renata levou um tombo e quebrou a perna, não consegue mais andar sozinha. Ela sofre de osteoporose, doença que causa a perda de cálcio e o enfraquecimento dos ossos.

Renata Bérgamo conta como ficou sua vida. “Agora conforme vem a idade já a gente não anda como andava antes. não vou mais comprar as coisas no mercado”, conta.

Dados da Secretaria de Saúde do estado de São Paulo revelam que 30% das pessoas com mais de 60 anos sofrem quedas dentro de casa. Só no ano passado, dez mil tiveram fratura no fêmur.

“É um ciclo vicioso, porque depois do primeiro evento de queda, o idoso fica mais restrito em casa. Com isso, os músculos da perna, principalmente, e do quadril, enfraquecem, e fica mais propenso a ter novos episódios de queda”, explica Carlos Uehara.

Segundo o médio Rogério Vidal, ortopedista, o tratamento para fratura na coluna é uma cirurgia minimamente evasiva.

Através de um de pequeno corte, um balão é introduzido. É ele que levanta a vértebra fraturada. Em seguida, um tipo de material acrílico preenche a cavidade óssea. “Tem que partir do mecanismo da prevenção e tomar uma série de medidas para evitar que esses pacientes caiam e se cair fazer com que o prejuízo não seja tão grande”, explica.

Guia ajuda idosos a evitar quedas

No RJ - Idosos: documento de identidade para embarcar com gratuidade

A decisão dos desembargadores do Tribunal de Justiça do Rio foi publicada ontem no Diário Oficial. Quem já tem o Riocard vai poder continuar a usá-lo normalmente.


Uma boa notícia para quem tem mais de 65 anos. A partir de agora, para embarcar de graça em qualquer meio de transporte público no município do Rio, o idoso vai ter que apresentar apenas um documento de identidade. A decisão dos desembargadores do Tribunal de Justiça do Rio foi publicada ontem no Diário Oficial.
O sindicato das empresas de ônibus informou que todos os 47 associados vão cumprir a decisão, e que quem já tem o Riocard vai poder continuar a usá-lo normalmente.

Morre o ator Perry Salles, ex-marido de Vera Fischer

Corpo do ator foi cremado nesta sexta, no Crematório do Caju, na Zona Portuária do Rio

Da Redação com Clarissa Thomé, do Estado de S. Paulo

SÃO PAULO - O corpo do ator e diretor Perry Salles foi cremado na tarde desta sexta, 19, no Cemitério São Francisco Xavier, no Caju, na zona portuária do Rio. Salles sofria de um câncer no pulmão, detectado em fevereiro passado, e morreu na manhã de quarta-feira, aos 70 anos. Ele estava no apartamento da ex-mulher, a atriz Vera Fisher, com quem morava desde que a doença havia sido descoberta. Seu nome verdadeiro era Perilúcio José de Almeida.

Muito abalada, Vera não foi à cerimônia. Ela seguiu para seu sítio em Pedra de Guaratiba, na zona oeste. A assessoria de imprensa da Rede Globo informou que ela foi dispensada das gravações da novela Caminho das Índias e só volta ao trabalho na segunda-feira.

Uma das últimas participações de Perry Salles na televisão foi na série Mandrake, da Rede Globo, em 2004. Fez poucas novelas na emissora, interpretando mais recentemente o personagem Mustafá, em O Clone, de 2001. Seu o papel de maior sucesso na TV foi como Laio, em Mandala, de 1987. Seu último filme foi Espelho d’Água - Uma Viagem no Rio São Francisco, de 2004.

Perry Salles e Vera Fischer eram grandes amigos. Foto: Divulgação

Perry Salles foi marido da atriz Vera Ficher por 16 anos, com quem atuou em vários filmes e teve uma filha, Rafaela. Mesmo depois de separados eles sempre foram grandes amigos. Teve um filho, Rodrigo, com a atriz Miriam Mehler, que morreu aos 20 anos, em 1990.

Salles atuou ao lado de Vera em A Super Fêmea (1973), um dos grandes sucessos do gênero pornochanchada dos anos de 1970, dirigido por Anibal Massaini Neto, com roteiro do escritor e autor de telenovelas Lauro César Muniz. Este foi o filme que deu projeção nacional a Vera Fischer como atriz, depois de ter sido eleita Miss Brasil em 1969.

No cinema, dirigiu dois longas, Intimidade (1975) e Dora Doralina (1982), ambos protagonizados por Vera quando ainda era sua mulher.

Fez carreira principalmente no teatro, em peças como Porcelana Fina, Confidências, em que foi dirigido pela ex-mulher, A Primeira Noite de um Homem, em que contracenava com Vera Fisher e a filha Rafaela, entre tantas outras.

A última aparição pública do ator ocorreu em março, no lançamento do segundo livro de Vera Fisher, Um Leão por Dia. Debilitado, ele foi ao evento de cadeira de rodas.

"Ele estava no hospital, mas agora está convalescendo aqui em casa, porque eu e minha filha somos as pessoas que ele mais ama", disse Vera na ocasião. Ela estava otimista com a recuperação de Salles. "Ele está melhorando sensivelmente. Já que amo tanto esse homem, tenho de cuidar dele."

Categoria internet: "Veterano britânico da Primeira Guerra vira homem mais velho do mundo."

Informação foi confiramada pelo Livro Guinness de Recordes.
Ele 'herdou' o posto após a morte do japonês Tomoji Tanabe aos 113 anos.


O veterano britânico da Primeira Guerra Mundial Henry Allingham é o novo homem mais velho do mundo aos 113 anos, após a morte do antigo dono do posto, o japonês Tomoji Tanabe, informou o Guinness World Records nesta sexta-feira (19).

"Henry Allingham é agora oficialmente o homem mais velho do mundo", informou uma porta-voz da organização reconhecida como a maior autoridade dos recordes mundiais.

Tanabe, que comia principalmente vegetais e acreditava que a chave para sua longevidade era não beber álcool, morreu nesta sexta-feira aos 113 anos e foi o recordista entre os homens que mais viveram desde janeiro de 2007.

Allingham nasceu em Londres no dia 6 de junho de 1896, e ganhou o título de britânico mais velho em 19 de janeiro de 2007, com 110 anos e 227 dias, informou o Guinness em um comunicado.

"Nós estamos contentes em ver que um homem inglês ganhou o recorde -- a última vez que alguém da Inglaterra levou o título foi Frederick Butterfield, que morreu em 9 de março de 1974, com 110 anos", disse Craig Glenday, redator-chefe do Guinness World Records.

Allingham é um dos apenas dois veteranos britânicos sobreviventes da Primeira Guerra Mundial, e o último sobrevivente entre os fundadores da Força Aérea Real, de acordo com a mídia britânica.

Seu amigo e acompanhante, Dennis Goodwin, disse: "É surpreendente. Ele é filosófico. Ele venceu sem dificuldade, como ele faz com tudo."

A vida de Allingham passou por seis reis, começando com a Rainha Vitória. Ele tem cinco netos, 12 bisnetos, 14 tataranetos e 1 tatara-tataraneto.

O Guinness informou que a pessoa mais velha do mundo é a norte-americana Gertrude Baines, de 115 anos, que nasceu no dia 6 de abril de 1894.

Terceira idade chega à Parada Gay de São Paulo

A 13ª edição do evento acontece hoje, a partir das 12h. Durante a festa, será mais fácil encontrar sessentões e setentões embaixo do arco-íris

Fernanda Aranda

Os cabelos brancos começam agora a abraçar a bandeira do arco-íris. Aos poucos, os rostos que expressam experiências da passagem pelo Festival de Woodstock, pela revolução feminina e também pela sexual aparecem entre os milhares de novatos que participam da Parada Gay de São Paulo. Hoje, a partir das 12h, será mais fácil esbarrar com sessentões e setentões na festa. Ainda que com dificuldade, dizem os militantes, a terceira idade toma coragem para "sair do armário".


"Nós ainda não somos muitos, porém estamos em maior número do que nas edições anteriores", afirma Ricardo Aguieiras, de 61 anos, que há seis é militante das causa dos idosos gays. Neste ano, ele vai levar a bandeira "seja corajoso, namore um gay idoso", frase que, junto com uma tatuagem no pescoço, compõe as novidades preparadas por Aguieiras para a 13ª edição da Parada.

O bom humor que marca a campanha do recém membro da terceira idade, na verdade, é a "fantasia" para a discussão de um problema sério que afeta os homossexuais com mais de 60. A própria participação ainda restrita é indício de que o público sofre ainda mais resistência e preconceito. Quem topa ir à Parada ainda quer ficar camuflado. "A Parada tornou-se monumental. É fácil ponderar que a quantidade de participantes permite que pessoas que antes temiam participar fiquem tranquilas por agora poderem se esconder na multidão. É o caso dos idosos", acredita João Silvério Trevisan, de 65 anos, que desde sempre foi ao evento.

Maria Stella Pires, de 66 anos e pioneira na luta pelos direitos das lésbicas, porém, diz que com os mais jovens, ela e suas colegas têm aprendido uma boa lição. "Eu vejo jovens homossexuais de mãos dadas, beijando em público. Nós não tivemos oportunidade. Agora, podemos fazer isso." Marisa Fernandes, de 56 anos, que há 13 juntou uma Kombi, um megafone e outras 500 pessoas e formou a primeira Parada, acredita que a transformação galopante do evento "fortaleceu todo o movimento e também os que têm mais de 65". "É a hora dessa geração derrubar a porta do armário."

Final Feliz

Centro de Referência é criado para evitar violência contra idosos

Vigilância Sanitária fecha asilo em Sorocaba

Tecnologia: veja como jovens e idosos estão entrando no mundo virtual

Morre idosa de 103 anos que esperou vaga na UTI por cinco dias

Ela precisava de vaga para tratamento de problemas respiratórios.
Paciente foi transferida para hospital de Salvador e não resistiu.

Do G1, em São Paulo, com informações do iBahia.com

Mulher de 103 anos esperou cinco dias para conseguir vaga em UTI (Foto: Antonio Queirós/Correio)

A idosa de 103 anos que ficou cinco dias esperando vaga na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), em Presidente Tancredo Neves (BA) morreu na madrugada desta quinta-feira (13). Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, a ex-cozinheira Anália Rodrigues de Jesus morreu em consequência de embolia pulmonar e pneumonia.

Anália morava com a filha, de 68 anos, e recebeu os primeiros cuidados antes de deixar sua casa. Quando chegou ao Centro de Saúde Dr. Rodrigo Argolo, a paciente foi acomodada em uma maca de 40 centímetros de largura, dentro de uma sala de reanimação. Ela precisava de uma vaga na UTI para tratamento de problemas respiratórios.

A chefe administrativa do posto, Adriana Barreto, disse que o local deveria servir apenas para atendimento de urgência. O centro de saúde informou que, desde o dia do internamento, fez contatos diários com a Central de Regulação de Leitos da secretaria. Ela foi transferida na noite de terça-feira (16), para Hospital Octávio Mangabeira, em Salvador, mas não resistiu.

Idosos não precisam mais apresentar o RioCard em transportes públicos

A Justiça determinou que os idosos não precisam mais apresentar o RioCard para utilizar os transportes públicos. Os desembargadores da 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça acolheram o recurso do Ministério Público e reformaram a decisão liminar ajuizada pelo MP em 2005, reconhecendo que não há necessidade de qualquer documento que não seja a carteira de identidade, para entrar em qualquer meio de transporte público no município do Rio.

Como à decisão cabe recurso, ela só começa a valer caso não haja recurso ou se for discutida em última instância. “A decisão foi bastante clara. Agora, basta apresentar a carteira de identidade para conseguir gratuidade nos meios de transportes públicos do Rio de Janeiro”, informou a promotora de Justiça Eliane Almeida de Abreu Belém.

A decisão foi tomada durante uma sessão pública no Tribunal de Justiça do Rio. Por isso, segundo a promotora, não há necessidade de que a Fetranspor ou o Sindicato das Empresas de Ônibus sejam notificados.

De acordo com a Promotora Eliane Belém, cerca de 80% das reclamações feitas nas Promotorias de Justiça de Proteção ao Idoso e à Pessoa Portadora de Deficiência estão relacionadas a problemas com o RioCard.

“Os idosos têm dificuldade em conseguir o cartão. Cerca de 80% das reclamações estão relacionadas ao acesso gratuito, sobretudo em ônibus. Os idosos reclamam, também, que alguns motoristas não param nos pontos. Nossa expectativa é de que agora os idosos sejam tratados com mais respeito”, concluiu a promotora.